A terapia com os pets

Publicado em de de

O seu dia pode ter sido muito cansativo e o seu corpo e a sua mente estão precisando de silêncio e paz. Ao entrar no prédio, você já escuta o seu gatinho miando com a sua chegada. E mesmo querendo esquecer de tudo e de todos, alguém está ali por ti do outro lado da porta, te esperando com um ronronar para curar toda essa angústia e aliviar essa pressão do dia a dia. E entre um enroscar nas pernas e miados, a bagagem de emoções que estavam te causando desconforto vão indo embora e o dia volta a fluir normalmente.

O efeito terapêutico dos pets deixou de ser um mito. Segundo um estudo da Associação Americana do Coração, o convívio com os pets pode diminuir os riscos de problemas cardíacos, além de manter o colesterol, glicose e os indicadores relacionados ao sangue em caráter normal. Uma das razões consideradas pelos pesquisadores foi a frequência de passeios com os bichinhos, porque os donos, consequentemente, acabam fazendo regularmente exercícios físicos.  

Uma pesquisa nacional do Departamento de Psicologia Experimental da Universidade de São Paulo (USP) constatou também que a convivência com os pets pode prevenir patologias como gripe, por exemplo. A conclusão dessa análise sobre zooterapia (terapia assistida por animais – TAA – ou atividade assistida por animais – AAA) foi com base em estudos nacionais e internacionais, encomendada pela Comissão de Animais de Companhia (Comac), integrante do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindan). 

São gatos, cachorros, tartarugas, cavalos, uma cumplicidade e um amor para uma vida toda.

Juliane Guez

Para acessar este arquivo, deixe aqui o seu nome e o seu e-mail. Nós te avisaremos sempre que houver alguma novidade.